Graças à sua conveniência e segurança, eles já estão emergindo como a melhor alternativa diante da falta de chips para emitir cartões físicos.

 Uma das consequências da pandemia foi o atraso em várias cadeias globais de produção, incluindo as de chips ou semicondutores, essenciais para ativar quase qualquer dispositivo eletrônico, de um smartphone a um carro.

Devido ao aumento do consumo desse tipo de dispositivos, graças ao aumento do teletrabalho, entretenimento virtual e transformação digital, a demanda por esses componentes aumenta incessantemente, enquanto a complexidade de sua produção joga contra sua disponibilidade.

Este é um problema sério para o mundo financeiro, já que um chip EMV é necessário para emitir cartões de crédito ou débito. De acordo com um estudo da ABI Research, mais de 700 milhões desses produtos não poderão ser distribuídos aos usuários durante 2022. 

Considerando que, atualmente, o pagamento com plásticos é indispensável, qual é a alternativa para uma possível escassez deles?

A resposta é simples: cartões digitais. Em um contexto de crescente digitalização do setor financeiro, a crise se converte uma oportunidade para continuar transformando os métodos bancários e de pagamento. Para isso, a emissão de produtos virtuais por meio da tokenização desempenha um papel fundamental.

Um token de pagamento é um código aleatório único gerado em tempo real, que fornece os dados de um cartão financeiro ou PAN (sigla em inglês que significa número de conta pessoal). Esse provisionamento virtual é realizado por empresas que fornecem gateways de pagamento digital, a fim de concluir uma transação sem a necessidade de elementos físicos.

Além disso, seu uso proporciona mais segurança ao cliente sobre seus dados bancários, uma vez que estes nunca são expostos, pois não são necessários.

TOKENIZAÇÃO NFC PARA CARTEIRAS DIGITAIS

As tecnologias contactless associadas aos cartões virtuais facilitam ainda mais a simplificação das transações financeiras por meio de carteiras eletrônicas móveis.

Deve-se notar que uma wallet pode ter diferentes tokens associados a ela, pois são únicos por transação e dispositivo, o que torna seu uso ilimitado e mais seguro.

As instituições financeiras são exponencialmente beneficiadas pela tokenização, tanto em seus cartões quanto em suas carteiras digitais.

Em primeiro lugar, não só reforça a segurança em favor do cliente, ao não expor seus dados bancários e evitar que sirvam a propósitos fraudulentos. Ao mesmo tempo, as empresas têm maiores garantias de compra, porque haveria um menor número de transações rejeitadas por possíveis fraudes.

Também melhora muito a experiência do usuário (UX, na sigla em inglês), sendo um processo de pagamento relativamente rápido e sem tantas etapas de verificação para cada compra, aumentando a satisfação e a lealdade do cliente.

Além disso, o uso do token é gratuito e sem custo de manuseio.

Agora que as vendas de e-commerce estão em alta globalmente e aplicativos de entretenimento digital como Netflix ou Amazon exigem métodos de pagamento digitais para manter as assinaturas ativas, é importante oferecer aos clientes opções. 

A escassez na produção de chips não deverá ser resolvida nos próximos meses, por isso, é necessário encontrar uma solução viável para que o setor financeiro não seja afetado.

A tokenização de cartão parece ser a opção mais viável para abordar esse cenário, ao mesmo tempo em que permite continuar impulsionando a digitalização dos métodos de pagamento.

Andy Tran